Harry Potter e cachorros

No dia em que minha prima conheceu o marido dela, eu estava trocando SMS com um menino que havia conhecido no IRC. Nós fomos assistir “O Homem Aranha” no Aeroclube. Éramos eu, minha prima, a irmã gêmea dela, o futuro marido ainda de buço e calças curtas e mais alguns elementos posteriormente descartados dos anais da história.

Isso aconteceu em algum ponto remoto, cerca de dez anos atrás, numa época algo turva em que IRC e Aeroclube [shopping a céu aberto com lojas de fachada 3D que fez imenso sucesso em Salvador por alguns anos e logo entrou em decadência] eram conceitos que faziam sentido. Minha prima casou com o supracitado rapaz do buço no último fim de semana. Eu obviamente não sei por onde anda o rapaz do SMS e desconfio que se o encontrasse na rua preferiria atravessar para evitar o constrangimento.

♫ Nancy Sinatra, Bang bang

Tenho dificuldade em citar qualquer coisa que me interessasse naquele dia há dez anos e que continue me interessando hoje. Harry Potter e cachorros, talvez. Tem algo de muito doido e bonitinho nessas duas pessoas continuarem fazendo sentido uma para a outra.

14 comments to Harry Potter e cachorros

Comentar