Filmes e afins de 2013


Screen shot 2014-01-01 at 5.52.35 PM

Balanço de um ano ficcionalmente pouco produtivo.

Filmes:

Nascidos em Bordéis, Zana Briski e Ross Kauffman ★★★

Assisti esse filme com a minha mãe, na virada de 2012 para 2013. Filminho leve sobre crianças indianas filhas de prostitutas. Desculpa, mãe.

A Primeira Noite de Um Homem, Mike Nichols ★★★★★
Noivo Neurótico, Noiva Nervosa, Woody Allen ★★★★★

Compramos cópias piratas de “Annie Hall” e “The Graduate” na China e levamos para animar as noites em Pyongyang. No nosso último dia lembro de uma conversa com a Isabela, minha amiga, na qual conjecturávamos se deveríamos ou não dar os filmes para o Che, nosso tradutor. Seria uma operação secreta, é claro, mas depois a gente ficou pensando e, bem, o que ele vai pensar do Ocidente? Melhor não. Ainda me pergunto o que ele acharia desses filmes, se acharia que somos histéricos e cheios de “white people problems”.

English Vinglish, Gauri Shinde ★★★

Aqui começa a fase Bollywood do ano. Esse filme é um sucesso na Índia e é interessante pensar por quê. Eles vêem essa história como um exemplo de como a dona-de-casa indiana pode ampliar seus horizontes culturais e dar a volta por cima. Eu acho um exemplo de como a dona-de-casa indiana sofre cobranças irreais para ser culta e mente aberta enquanto permanece de sari na cozinha.

O filme é assim: uma dona-de-casa linda e prendada ganha a vida cuidando dos filhos, da sogra e vendendo ladoos, um docinho delícia. Pegadinha #1: está ficando complicado para as famílias indianas conseguirem se sustentar apenas com o trabalho masculino. Nos grandes centros como Mumbai e Déli os homens estão sendo forçados a aceitar que suas mulheres não mais serão donas-de-casa. Não é avanço, é necessidade mesmo. Nesse contexto, o que poderia ser melhor do que uma mulher que permanece em casa, mas arruma um jeito de gerar renda cozinhando para fora?

Shashi, a protagonista de “English Vinglish”, é tudo que um indiano moderno poderia querer. Bonita, tradicional, usa sari, fica em casa, ajuda a pagar as contas. Seu único defeito é ter um inglês ruim, algo que constrange o marido e a filha. Ter um inglês bom é uma questão de status na Índia, algo como um requisito mínimo para você ser um membro respeitável da classe média. Aqui já é assim, mas acho que lá é mais pesado por conta da colonização (e porque aqui meio que ninguém fala inglês bem, todos fingem, todos compram a encenação uns dos outros e vivemos felizes).

A primeira parte do filme é uma sequência infinita de bullying familiar por conta do inglês ruim + trabalho incessante para vender os ladoos. Na segunda parte do filme, a protagonista, cansada de ser humilhada, resolve viajar para visitar a irmã em Nova York e aproveita para aprender inglês em inimagináveis quatro semanas.

Como Bollywood sempre tenta imitar as fórmulas de Hollywood mas depois lembra que tem seus entraves culturais, esse filme devia ser uma comédia romântica e, logo, devia conter um parzinho romântico. Eles tentam forçar a amizade lançando um europeu como parzinho da Shashi, mas como ela é a esposa indiana ideal, não ficaria bem pular a cerca, então, o romance é todo chocho, ninguém pega na mão, ninguém passa uma cantada e no fim todos ficam amigos, a moça aprende inglês e o casamento se reestabelece.

3 Idiots, Rajkumar Hirani ★★★★

Um dos melhores filmes de Bollywood (pelo menos entre os que eu vi e os meus amigos indianos amam de paixão).

Devdas, Sanjay Leela Bhansali ★★★★

Devdas leva os Oscar por ser meu filme favorito de Bollywood, com o ator mais lindo e as melhores danças. Machista que só ele, claro. Nosso herói faz coisas como tacar um colar na cara de seu parzinho com tanta fúria que sua testa sangra e ela ganha uma cicatriz do Harry Potter que arde sempre que Devdas está por perto (a história original é anterior à Harry Potter, então, vejam só em que fonte J.K. foi beber).

Uma coisa irritante em Bollywood é que eles não admitem que um personagem seja ruim de verdade, ainda mais em tramas familiares. Não dá para conceber uma sogra má, um sogro azedo, no máximo um cunhado meio esnobe. Isso significa que para estabelecer o drama é necessário abusar das coincidências e das mancadas. Se você for ver bem, a história é amplamente inverossível e aquilo que é apresentado como um drama insolúvel é só um arranjo de mal-entendidos. A possível futura sogra que em uma cena é tão arrogante e inflexível na outra já é um doce. A vizinha pobre e ofendida que em uma cena jurou vingança na outra já está de boas.

Destaque para: as cenas de alcoolismo de Devdas. Como não pega bem colocar o mocinho para efetivamente encher a cara, notamos que Devdas mais espirra bebida pelos ares do que efetivamente a ingere.

Taare Zameen Par, Aamir Khan ★★
Pyaar Ka Punchnama, Luv Ranjan ★★
Rowdy Rathore, Prabhu Deva ★★
Bhagam Bhag, Priyadarshan ★★
Mujhse Fraaandship Karoge, Nupur Asthana ★★
Jab We Met, Imtiaz Ali ★★
Rang De Basanti, Rakeysh Omprakash Mehra ★★
Munna Bhai M.B.B.S, Rajkumar Hirani ★★
Lage Raho Munna Bhai, Rajkumar Hirani ★★
Lanka, Maqbool Khan ★★
Taxi No 9211, Milan Luthria ★★
Garam Masala, Priyadarshan ★★
A Vida de Pi, Ang Lee ★★★

A Outra História Americana, Tony Kaye ★★★★★

O Som ao Redor, Kleber Mendonça Filho ★★★★★

Eu devia ter escrito sobre esse filme, mas fui a um grupo de estudos sobre ele e as pessoas tinham ideias tão melhores que as minhas que fiquei encabulada.

A Hora da Zona Morta, David Cronenberg ★★★
A Era do Rádio, Woody Allen ★★★★
Amor, Michael Haneke ★★★★★
A Testemunha, Peter Weir ★★★
Férias Frustradas de Verão, Greg Mottola ★★★
Chernobyl: Sinta a Radiação ★★
O Lado Bom da Vida, David O. Russell ★★★
Freud, Além da Alma, John Huston ★★★
Seven: Os Sete Pecados Capitais, David Fincher ★★
Quem Vê Cara Não Vê Coração, John Hughes ★★★★
Caro Francis, Nelson Hoineff ★★

Filme ruim, as estrelas são só para o objeto.

Os Agentes do Destino, George Nolfi ★
O Joelho de Claire, Eric Rohmer ★★★★★
Dentro da Casa, François Ozon ★★★★
Zumbilândia, Ruben Fleischer ★★★★★
A Hora do Espanto, Craig Gillespie ★★★
O Que Traz Boas Novas, Philippe Falardeau ★★★★
Humanoides das Profundezas, Barbara Peeters ★★
Harry & Sally – Feitos um Para o Outro, Rob Reiner ★★★★★
E Se Fosse Verdade, Mark Waters ★

Pior filme do ano.

Notícias de uma Guerra Particular, Kátia Lund e João Moreira Salles ★★★★★
Percival, o Gaulês, Eric Rohmer ★★★★★
Picnic na Montanha Misteriosa, Peter Weir ★★★★★
Dias de Paraíso, Terrence Malick ★★★★★
Hannah Arendt, Margarethe von Trotta ★★★★
Um Corpo Que Cai, Alfred Hitchcock ★★★★★
Descalços no Parque, Gene Saks ★★★★★
Frances Ha, Noah Baumbach ★★★★★
Metropolitan, Whit Stillman ★★★★★
General, Clyde Bruckman e Buster Keaton ★★★★★
Um Estranho Casal, Gene Saks ★★★★
Bling Ring: A Gangue de Hollywood, Sofia Coppola ★★★
Feitiço da Lua, Norman Jewison ★★★
Ontem, Hoje e Amanhã, Vittorio De Sica ★★★★
A Difícil Arte de Amar, Mike Nichols ★★★★★
Duas Garotas Românticas, Jacques Demy ★★★★
A Morte lhe Cai Bem, Robert Zemeckis ★★★
O Mestre, Paul Thomas Anderson ★★
Ela É o Diabo, Susan Seidelman ★★★
Férias Frustadas, Harold Ramis ★★★★
Salinger, Shane Salerno ★★
Manhattan, Woody Allen ★★★★★
Uma Espécie em Extinção, Art Linson ★★
Tratamento de Choque, Peter Segal ★★★
O Bebê de Rosemary, Roman Polanski ★★★★★
O Amante, Jean-Jacques Annaud ★★★

Honestamente, é um filme pornô (mas um pornô bom, isso eu concedo) Adoro esse livro. Acho que eu assistiria pornôs se eles tivessem mais essa cara. Menos vaginas que mastigam pênis, mais orientais gatos e moças dentucinhas.

O Último Imperador, Bernardo Bertolucci ★★★★
Simplesmente Amor, Richard Curtis ★

Sites gringos estilo BuzzFeed falam tanto desse filme que fui assitir para não me sentir por fora. Por fora estava mais gostosinho.

Hanami – Cerejeiras em Flor, Doris Dörrie ★★★★
Blue Jasmine, Woody Allen ★★★
Caindo na Real, Ben Stiller ★★
Nunca Fui Beijada, Raja Gosnell ★
Histórias que Contamos, Sarah Polley ★★★★★
Violência Gratuita, Michael Haneke ★★★★★
Paixões em Nova York, Edward Burns ★★★
Hatari!, Howard Hawks ★★★
O Clube das Desquitadas, Hugh Wilson ★★★★

Até hoje minha mãe usa o termo “clube das desquitadas” quando vai sair com um grupo de amigas divorciadas.

007: Operação Skyfall, Sam Mendes ★★★★★

Assisti na virada de 2013 para 2014, quero escrever sobre ele e sobre o quanto eu amo o Daniel Craig depois.

tumblr_mljdq2467E1qfgofvo1_1280-1

Livros:

The Prime of Miss Jean Brodie, Muriel Spark ★★★★
World War Z, Max Brooks ★★★
The Already Dead, Eric Cazdyn ★★★★★
The Road, Cormac McCarthy ★★★

Escrevi sobre esses três livros em um trabalho da faculdade (mas para falar a verdade meus trabalhos da faculdade não são muito diferentes dos meus posts neste blog). Está aqui, se quiser dar uma olhada.

A Legião Estrangeira, Clarice Lispector ★★★★★
Monodrama, Carlito Azevedo ★★★★★

Peças:

Senhorita Júlia, Eduardo Tolentino de Araújo ★★★
Expresso K, Bia Szvat ★
O Berro, Eduardo Tolentino de Araújo ★★★★

Shows:

Travis, Planeta Terra Festival ★★★
Lana Del Rey, Planeta Terra Festival ★★★
Beck, Planeta Terra Festival ★★★
Blur, Planeta Terra Festival ★★★★★

linhas_irma450x100311111

11 comments to Filmes e afins de 2013

  • Daniela

    Adoro suas listas de final de ano! A do ano passado me inspirou uma das melhores leituras deste ano (The Remains of the Day).

  • Gabriela

    O Picnic na Montanha Misteriosa cinco estrelas? achei pessimo, mas pode ter sido pelo fato de ser um dvd de dois lados, sendo que o outro era Under The Sheltering Sky.

  • Diogo

    Bacana sua lista cultural do ano. O link para conferir seus estudos na USP está errado ou corrompido.

  • Gabriela

    Queria ler um texto seu sobre O Som ao Redor. Não se acanhe. Escreva. :P

  • Passei a amar Daniel Craig também depois do último 007. Ele evoluiu bastante, tanto ator quanto personagem parecem amadurecidos. Eu tinha muita birra com ele, o que mudou desde Skyfall.
    Sim, O Amante parece pornô. Gostei muito desse filme.
    Abraços.

  • Adorei sua descrição de English Vinglish. Sério, achei muito interessante. O cinema alternativo que consumo é todo europeu. E o não alternativo é Hollywood mesmo, então foi interessante ler sobre suas experiências com o cinema indiano.
    A outra história americana é um dos meus filmes favoritos.
    Porque você só deu duas estrelas pra Seven? Como assim? haha
    De show esse ano só fui a um dia no RiR, então não falo nada.

  • Ah! Fiquei tão feliz quando li que você gosta de Bollywood! Sou super viciada, mas dependo de envios raros de DVDs por familiares que vivem por aquelas bandas! Como você assiste? O Shahrukh Khan é um lindo mesmo, também é meu ator preferido, já viu Kal Ho Naa Ho? Ele é o protagonista e é o filme mais bonito que já vi (naquela pegada fantasiosa de Bollywood, mas mesmo assim!). Bunty aur Bably também é muito bom e também é o primeiro filme em que rolou um beijinho de verdade no cinema indiano!
    Feliz ano novo (: Que tudo seja maravilhoso para você, viu?! E muitos filmes, livros, peças e shows <3

  • Juliana Cunha

    Giovanna, tem um monte de filmes de Bollywood na Netflix americana, sabia? E eu consigo acessá-la graças a um app do Google Chrome que esconde seu IP. Vale super a pena. Vou procurar esse filme! :c)

  • carolina

    Como vc conseguiu ver Beck e Lana ao mesmo tempo?

  • Larissa

    Juliana, já assistiu Don (tanto a versão do Amitabh Bachchan quanto do SKR – 2006)?

  • Acabei de ver o indiano muito bonito “Hum Dil De Chuke Sanam” e me lembrei deste post.

Comentar