Bandeira 2

Nada marcado de hoje pra hoje vai ser bom pra você. Ser um pouco inacessível é uma virtude esquecida. Morar longe do metrô, numa ladeira. Idealmente, você mora a vinte minutos do metrô, num prédio de subida sem garagem. A caminhada é agradável, árvores formam sombras engraçadas pela calçada, os músculos da panturrilha repuxam um pouco nesse ângulo. Alternativamente, podemos trocar a ladeira por Santo André. Fica acertado que você mora em Santo André, bem na frente do ponto do fretado.

É preciso erguer algum tipo de proteção entre você e a ansiedade dos outros. Uma barricada absolutamente permeável, não me entenda mal. Você ainda precisa negociar alimentos com o outro lado, e água, jornais estrangeiros, às vezes uma conversa. Nada que uma internet pré-paga e um gato que precisa ser alimentado em Jaçanã não resolvam.

Nessa primeira etapa, seu sucesso será medido pela quantidade de “Ah, não, nada, agora já foi” que você escutar. Quanto mais “Ah, não, nada”, melhor.

Favor não confundir com uma torre, uma coisa assim mais principesca. Não resolve, e te coloca na mira de um outro tipo de ansiedade —fora o risco de você simplesmente não valer a viagem.

5 comentários sobre “Bandeira 2

  1. tenho vivido um pouco disso. moro agora em uma ladeira impressionante e meu telefone celular não pega em casa. tem que me amar muito pra vir aqui ou ganhar o número do meu fixo. tenho vivido um pouco disso e tenho adorado, aliás!

  2. Acabamos nos espremendo no canal estreito de fugir da ansiedade dos outros sem cair na nossa própria ansiedade por estar negligente com a ansiedade alheia. Em outras palavras ansiosas, não absorver por antropofagia suicida o sem-fim choroso do amigo acaba, volta e meia, contaminando a gente com ansiedade de não ser bom amigo. Deveras tightrope.

    Juliana, tu não sabe quantas vidas pode salvar se refletir mais sobre essa tal barricada permeável e continuar escrevendo sobre ela. Mas tenho medo de dizer isso e te deixar ansiosa.

  3. Juliana, você escreve tão bem e sobre coisas tão frequentes na minha vida que assusta.

  4. dia desses, um professor meu comentou que nunca, NA VIDA, teve celular. eu, chocada, “mas cooomo? cooomo você consegue? nem que seja só pra ligar!”. a resposta dele foi categórica: “essa insanidade de que a gente tem que estar disponível o tempo inteiro, nem pensar”. fiquei com isso na cabeça… quem foi que disse, né, que a gente tem que estar disponível o tempo inteiro?

  5. “Morar longe do metrô, numa ladeira. Idealmente, você mora a vinte minutos do metrô, num prédio de subida sem garagem. A caminhada é agradável, árvores formam sombras engraçadas pela calçada, os músculos da panturrilha repuxam um pouco nesse ângulo. ”

    Eu moro a 20min do metrô, em uma casa de subida sem garagem . E de resto, ipsis literis. Não faço mais nada pra ontem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *