Complexo de Telêmaco

Eu vi, num desses chorumes de internet, uma frase que dizia: be the person your dog thinks you are. O ser humano é um caso quase irremediável. Ele olha para uma coisa bonita e diz: olha que coisa bonita. Em seguida descreve algo horrível.

Você já é a pessoa que o seu cachorro pensa que você é. Você não é uma fraude vivendo com um animal estúpido e iludido. Tentar ser a pessoa que o seu cachorro pensa que você é só mostra que você não entendeu nada da lógica do cachorro, e que subestima demais sua compreensão. O cachorro é um ser muito generoso e de algum modo gosta até de quem confia mais na opinião de transeuntes do que no parecer detido de um especialista. Mas, por via das dúvidas, melhore. É sempre bom dar a quem gosta da gente um pouco de argumento.

*

A dita inteligência do gato reside em se achar muito independente sem o ser. Ele é completamente dependente, mas age como se fosse completamente independente. É completamente domesticado e age como um selvagem. É, em suma, um adolescente.

O cachorro, mais atento, percebe o tamanho de sua dependência e nunca perde de vista esse dado. O cachorro te ensina tudo o que você devia saber sobre afeto. O cachorro entrega o afeto dele não apenas para a pessoa que mais gosta dele, mas para a pessoa que gosta certo, para a pessoa que noves fora vai resolver o problema. É por isso que o cachorro nunca é da criança. Uma das maiores alegrias de ser adulto é que pela primeira vez o cachorro pode — ninguém garante que vai — ser seu cachorro.

Só em filme o cachorro é da criança. Na vida real o cachorro é sempre da mãe, muito raramente do pai. Se na sua casa o cachorro é da criança, é bom ver o que está acontecendo. Análise pra geral agora mesmo, sei lá, recomendo.

Sendo a sua uma casa normal, a análise da criança continua de pé porque é capaz que ela sofra de um fenômeno muito real, embora pouco comentado, que é o complexo de Telêmaco.

Uma das grandes frustrações da criança inteligente se dá no momento em que ela percebe que o cachorro não é dela. Aquele cachorro que talvez tenha sido seu presente de Natal, que todos se referem como seu cachorro, que sua mãe pergunta “já foi limpar o cocô do seu cachorro?”. Pois que deite no estrume, não é seu.

Você ama muito o cachorro e o cachorro é possível que te ame de volta, mas você não previa tantas ressalvas da parte dele. Não previa que ele por vezes, enquanto você tenta acarinha-lo, fugisse para debaixo da mesa, ou que apenas olhasse para o seu pai em franco desespero. Onde você previa total entrega e obediência e um ânimo infinito para aventuras está um cachorro que falhou em assistir aos mesmos filmes que você.

A criança que além de inteligente é budista e iluminada tira grandes lições daí. Usa o cachorro como termômetro para saber onde depositar sua própria lealdade. O resto de nós, no entanto, passa muito tempo se perguntando qual o problema do cachorro, ou o que os meninos de filme têm que eu não tenho.

É conhecida a chateação de Telêmaco por ter vivido tanto tempo entre 108 marmanjos desconhecidos planejando sua morte, mas num pergaminho perdido está essa parte em que ele enfim pergunta “mas por que diabos o cachorro não pode ser meu?”.

7 comentários sobre “Complexo de Telêmaco

  1. Texto fantástico…fala direta, completa, plena em humor negro, fino, inteligente.
    Descobri seu trabalho por ler seu texto no blog da contente sobre a internet…me tornei fã de carteirinha.
    Valeu por compartilhar tanta sinceridade em tempos que poucos sabem o que é !

  2. “Uma das grandes frustrações da criança inteligente se dá no momento em que ela percebe que o cachorro não é dela.” Vivi isso! Esse texto foi uma luz.
    Só tem um mas….
    Só pensando o que o paragrafo sobre o gato está fazendo ali… Porque o texto é todo sobre cachorro.
    Porque cães e gatos não podem simplesmente existir sem serem comparados? Tipo cachorros e pavões. As pessoas não escrevem textos sobre pavões e comparam eles com cachorros.
    Enfim, esse texto é bem legal!

  3. Interessante sua visao sobre os , eles sao dependentes mesmo, mais que os peros, inclusive. Agora nao seja uma Felicia com seu magrelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *